Compreendendo a Criança…

adorable-2178857_1920

Sabemos bem o que é uma criança, mas podemos não saber como ela psicologicamente se forma em seus primeiros anos de vida.

As crianças são compostas com cinco sentidos, uma automotivação singular e predisposição sempre novinha em folha para explorar seu mundo. Sem memórias do seu passado, sem resíduos ou lembranças capazes de lhes criar conflitos de qualquer natureza.

Sem ressentimentos ou mágoas pessoais, sem inclinações *sectárias ou *dogmáticas. Sem ideias ou ideais, sem conceituação alguma do que é o viver, ou juízos sobre pessoas ou sobre qualquer outra coisa. Um recipiente vazio que começa a ser preenchido com tudo aquilo que já conhecemos, ou seja, a mentalidade que dá forma e conteúdo a psique do mundo.

Se pudéssemos enumerar cada fase da vida de uma criança em ciclos ou estágios preliminares de sua vida psicológica, seria mais ou menos assim:

A criança nasce e embora não possua uma identidade, convive com todos os elementos necessários para que um dia tenha capacidade de construir uma. Não é burra, apenas inocente, tem um cérebro e os sentidos, e também alguns processos idiossincrásicos que é a maneira de ver, de sentir e de reagir, própria de cada pessoa, tudo em fase de ajustes, são completamente operacionais. Mas ainda não é capaz de observar as coisas com interesse real, o que só vai ocorrer quando aprender a focar sua atenção de forma intencional. E neste primeiro ano ficará apenas nisso. Seus sentidos já são capazes de memorizar conscientemente sentimentos simples, tais como: carinho, satisfação, agressividade e outros. Tem forte necessidade de companhia, pois ainda se sente sozinha, apesar de ter os parentes por perto.

Concluída essa fase, entra no segundo ano de vida. Agora, já possui toda base orgânica bem estruturada. Um cérebro constituído, com suas funções plenamente ativas e os sentidos começam a gravar profundamente suas memórias e a documentar tudo que ocorre à sua volta. Ainda não tem a capacidade de discernimento, pois, não tem noção de que o mundo existe e funciona à sua revelia. É egocêntrica a ponto de não imaginar que as pessoas têm necessidades, pensam, sentem dor ou prazer, assim como ela.

No terceiro ano, descobre que as pessoas têm necessidades, são capazes de sentir dor e alegria igual a ela. É o estágio de infância onde mais aprenderá. É o período de maior atividade psicológica de toda sua vida, e seus sentidos estão mais acentuados que nunca. Nesse estágio sua sensibilidade atinge seu mais elevado grau de percepção. Pode-se definir a metade do segundo ano e todo o terceiro como a fase embrionária da psique, a ciclo onde ela ganha sua estrutura definitiva. Está nascendo o ego separatista, a individualidade consciente.

No quarto ano, o mundo concreto à sua volta toma forma. As coisas passam a existir de fato. Se antes o concreto era motivo de simples curiosidade, agora, ela passa a direcionar suas necessidades. De repente passa a sentir a necessidade de acumular, guardar os objetos de maior apelo visual ou sensorial. Torna-se seletiva para coisas e pessoas. São bem vindas apenas às pessoas que suprem as suas necessidades materiais ou psicológicas. As coisas ganham as formas definitivas, e ela passa a se preocupar com a estética desses objetos e ao incorporar o senso de estética começa a tecer seus próprios padrões. É como se o mundo tomasse forma diante de si, pronto a ser explorado e lhe dar satisfação, um quesito que ela agora, conscientemente, passa a demandar.

No quinto ano, o conceito de concreto já é coisa do passado. O mundo material e seus inquilinos imóveis e vivos já é uma realidade indiscutível. Passa a sentir uma necessidade de interagir com as pessoas. Torna-se extremamente competitiva e seu ego reivindica mais espaço para expandir seus domínios dentro daquela psique, com a intenção de dar uma forma definitiva à personalidade do seu hospedeiro. Aprende a ser sociável e a imitar gestos comportamentais conscientemente. Passa a procurar os modelos de personalidade ou traços posturais com os quais mais se identifique.

No sexto ano, ela irá aperfeiçoar seu modelo de interação com as pessoas e seu mundo. Está no limiar de ter seu próprio ego, uma personalidade com preferências e medos particulares. Já tem plena noção da existência das coisas materiais, sabe que as deseja, mesmo não sabendo por que. Sua sensibilidade de criança começa a se desfazer, e em seu lugar, as sensações, o aspecto emocional que lhes proporcionam os sentidos, assumirão o controle. Passa a observar o que tais sensações proporcionam ao seu corpo. É a busca da satisfação corporal tomando forma. Começa a sentir prazer ao ter contato com coisas e pessoas. Se sente bem quando está com alguém que a agrada, e começa a sentir-se insegura com medo de perder essa fonte de satisfação.

No sétimo ano, já tem personalidade, uma fisiologia ainda em desenvolvimento e um cérebro em fase estrutural, sua psique já é adulta. O que a diferencia de um adulto de fato são as alterações físicas que seu corpo ainda sofrerá e a experiência de vida que virá com o tempo. Já tem individualidade consciente e plena noção de que os outros são capazes de pensar, ter ideias, planejar alguma coisa, e mentir, assim como ela. Já possuem a condição plena de entender o que é malícia, embora sejam ingênuas por falta de experiência.

Se contam mentiras, agora o farão com total convicção e saberão os motivos. Já são capazes de planejam suas ações, e tem plena noção da cronologia do tempo, isto é, passado, presente e futuro. Falta-lhes a maturidade, o conhecimento acumulado que virá com a idade, transformando-a num adulto ciente de suas convicções, capaz de opinar enfatizando sua personalidade, individualizando seus desejos.

*Sectário Indivíduo que se envolve apaixonadamente ou de modo extremo numa doutrina, religião, política, filosofia etc.: o sectário do partido nos defenderá.

*Dogmático é um adjetivo que qualifica alguém ou algo como seguidor de um dogma; dogmatismo. Ou seja, um indivíduo que aceita determinada coisa como verdade absoluta e não abre espaço para discussões.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s